Engenho Morim e o Casarão Histórico do Dr. Estácio de Albuquerque Coimbra, maior empresário da região e proprietário da Usina Central Barreiros e político que ocupou por duas vezes o governo de Pernambuco


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
Neste último domingo(30/10/2016) iniciamos algumas visitas em alguns pontos históricos de nossa belíssima cidade, “São José da Coroa Grande”, São José além de contar com as piscinas naturais,a praia de gravatá no Abreu do Una e a praia da várzea que nos proporciona o “Surf”, os turistas e visitantes também tem a opção de ter um belo passeio de barco no rio e pelos manguezais em um belo cenário de belezas naturais. Mas quem gosta de passeio rural, com direitos a apreciar as belas bicas e cachoeiras que os engenhos Coroenses tem a oferecer aqui é o lugar. 

Nessa matéria apresentaremos aos caros leitores um casarão histórico localizado no engenho Morim, lembrando que esta matéria é a primeira edição, pois estaremos mostrando passo a passo nossa história e nossos pontos Turísticos. Nessa primeira edição, mostraremos a nossa Chegada no Engenho Morim.
Venham Comigo:
A propriedade está localizada a cerca de 5 km da PE 060, considerando o acesso através do Engenho Tentugal, mas também pode ser acessada através da cidade de Barreiros, pelo Engenho Campinas, tendo como coordenadas geográficas da casa grande. Possui uma área de total de 1.029 hectares, dos quais aproximadamente 600 hectares são constituídos de área de preservação permanente contemplando mata atlântica e margens de rios e riachos.

História
Conforme dados do “Plano de Preservação dos Sítios Históricos do Interior”, elaborado pela FIAM, o Engenho Morim foi fundado no século XVIII, pela Baronesa de Gindahy, então descobrimos a origem do nome do engenho Gindaí ou Gindahy, o nome do engenho em homenagem a Baronesa Gindahy.

As construções existentes contemplam a casa grande, estábulo, banheiro de carrapaticida, estrumeira, moita e casas de moradores, que conservam as linhas arquitetônicas originais. Também pode-se observar as ruínas da capela, em frente à casa grande.

Trata-se de uma propriedade de inestimável valor histórico, por ter sido a casa de morada no Dr. Estácio de Albuquerque Coimbra, maior empresário da região e proprietário da Usina Central Barreiros e político que ocupou por duas vezes o governo de Pernambuco, sendo interinamente em 1911 e depois eleito em 1926, tendo sido ainda vice-presidente da república entre 1922 e 1926.
O Dr Estácio de Albuquerque Coimbra casou com Joana Castello Branco, filha e herdeira do então proprietário Major Francisco Ferrão Castello Branco, tomando posse da propriedade e adquirindo terras vizinhas, fazendo do Engenho Morim um latifúndio dos mais belos e produtivos. Em 2003 venda de 1029 hectares para Diógenes de Oliveira Paes Barreto e José Lourenço de Oliveira Neto, atuais donos da propriedade. 

A nossa história contamos com orgulho, somos Coroenses, resgatar a história nos faz entender também o presente e nos prepara para o Futuro bem prospero, um filho da terra não pode jamais esquecer suas origens.
OBSERVAÇÃO:
Sua opinião é bem vinda, essa matéria é a nossa primeira edição histórica,é claro que vamos procurar melhorar, ainda não temos equipamentos para fazer uma matéria a altura que você leitor merece,mas creio que vamos um dia fazer o melhor, aceitamos suas criticas construtivas,nos mande um email ou um zap, incentivando ou criticando.

Escrito por Tenório Cavalcanti

PUBLICIDADE
Compartilhar:

Post Author: admin


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *