QUAL O PROJETO DA DIREITA BRASILEIRA

POR BRUNO OLIVEIRA…

Na verdade, toda a programação política da direita brasileira encontra-se esquartejado, e cada pedaço deste ignóbil projeto está nas mãos de alguns que se colocam como a face moral e conservadora dos mais importantes valores sociais, tipo do discurso do século passado. A direita tradicional, atualmente está ameaçada pelos instrumentos que ela criou para fazer o serviço sujo, eles não queriam sujar as mãos, o porém é que, esses instrumentos se tornaram fortes, robustecidos, cresceram e assumiram a liderança do discurso conservador e liberal, com apropriações esdrúxulas e anacrônicas. A direita perdeu o controle.

Dois personagens foram criados pela direita tradicional para combater a esquerda que, não soube lidar com as manifestações de julho de 2013; o MBL (Movimento Brasil Livre) e o Bolsomito, corporificado na figura tosca do Ex-Capitão e atual Deputado Federal Jair Bolsonaro, foram planejadas para enfraquecer a esquerda, mas a direita não contava com o potencial agregador de votos que esses dois personagens teriam.

Com a perda do controle destes dois personagens, a direita tradicional ainda tem que lidar com os problemas internos: Aécio deixado à deriva ou não? Doria ou Alckimin? Álvaro Dias ou Ronaldo Caiado? Continuar com Temer ou se afastar do Governo? Dentro deste turbilhão de indecisões, a direita tradicional, fisiológica perde o foco, não apresenta objetivo claro e nem um projeto de Brasil. Onde fica o projeto da direita Brasileira?

Fernando Henrique Cardoso claramente não é a figura macro e norteadora da direita, não conseguiu pôr ordem na casa, nem tão pouco impor seu candidato ao palácio do planalto, que diariamente é ameaçado pelo mais jovem traidor interno da direita, o atual Prefeito de São Paulo, João Dória. Dória é a materialização do que há de mais ignóbil na direita brasileira, poderíamos arrolar uma sequência de adjetivos a ele: traidor, simulado, racista, opressor, adepto de uma espécie de apartheid pós-moderno, dentre outro adjetivos depreciadores. O maior símbolo do mau caráter do Prefeito de São Paulo é a traição ao Governador Geraldo Alckimin.

Mas, os maiores adversários da direita tradicional, os chamados cabelos brancos, são as serpentes que eles criaram: MBL e o Bolsomito. Ambas as figuras surreais, construída dentro de uma plataforma rasteira e sem raízes, com um discurso ignorante em temas banais. O MBL ataca para todos os lados, esses “pivetes” se afirmam conhecedores de tudo, porém não entendem nada, sua plataforma abjeta é propagada diariamente por meio das redes sociais e YouTube, são falas deploráveis, são verdadeiras afrontas a inteligência do povo brasileiro, suas falas “políticas” se fundamentam no senso comum, e não apresentam um projeto claro para o Brasil.

O Bolsomito é uma figura tosca, chegando a beirar a insanidade. O deputado parece até ter boas intensões, mas sua plataforma de campanha é baseada numa política de faroeste, de justiceiro, onde populares poderão combater o crime com suas próprias armas e mãos, onde a polícia agirá como executores; suas falas não são pensadas, chego a pensar que ele não articula a fala ao pensamento, e acaba tendo diarreias orais constantemente, fatos que já levaram a condenação no STF.

Bem, como tentei apresentar, a direita brasileira não tem projeto, não tem norte e nem candidato; encontra-se perdida, sem foco, sem objetivo e sem direção. É exatamente isso que a enfraquece, que a deixa vulnerável. Seu projeto de Brasil, a moda Temer é o clássico “entreguismo”, é o retorno à colônia de exploração, é voltar a dobrar a servis para os americanos e a Doutrina Truman. A direita brasileira não gosta do Brasil e nem dos brasileiros.

Compartilhar:

Post Author: Tenório


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *