São José da Coroa Grande “á cada busca pela a tua história encontro um Paraíso”. Confira

São José da Coroa Grande é um município do litoral sul de Pernambuco, no Brasil. Margeada por piscinas naturais, a cidade tem sua denominação inspirada nas coroas que emergem nas marés baixas nos bancos de areia entre a beira-mar e os corais.

Em homenagem aos índios caetés, povo nativo da região, o município era chamado Puiraçu, termo proveniente do tupi antigo po’yrusu, que significa “miçangas grandes” (po’yra, “miçanga” + usu, “grande”).[6] Apenas em 31 de dezembro de 1958, com a publicação da Lei 3 340, a cidade passou a ser considerada um município autônomo, recebendo o nome de São José da Coroa Grande.

A  Matriz de São José, ponto de onde partiu toda sua expansão e que até os dias de hoje atrai a população local e turistas que desfrutam das belezas e histórias da Costa Dourada.

O município de São José da Coroa Grande conta com dois distritos: Várzea do Una e Abreu do Una. Creio que devido ao crescimento do engenho Tentugal e já tendo a sua rua principal pavimentada será o terceiro distrito do município.

Praia de Gravatá

A praia do Gravatá fica localizada no distrito do Abreu do Una. Antigamente, o açúcar era transportado da Usina Central Barreiros até o Porto do Gravatá por locomotiva. No porto, ancoravam as barcaças que transportavam açúcar para o Recife e, de lá, para o Rio de Janeiro.

 

Igreja São Benedito

A igreja foi construída pelos holandeses, tendo, como padroeiro, São Benedito. Fica localizada no distrito do Abreu do Una. Em 1961, foi demolida pelo senhor de engenho conhecido nas redondezas por Otávio. Mais acima, foi construída uma nova capela em homenagem a São João Batista. Na localidade, existiu uma festa muito popular: a festa de reis. Já a igreja do Abreu foi uma capela de engenho, feita pelo dono do engenho na década de 1920.

Museu do Una

O museu fica localizado no distrito de Várzea do Una. Foi fundado em 22 de abril de 2000 por Bertrando Bernardino, com o objetivo de servir de abrigo e preservação da cultura regional e meio ambiente. No interior do museu do Una, encontramos um exemplar de peixe-lua, um dos dois únicos exemplares expostos no Brasil (o outro está em São Paulo).

O Blog conversa com Bertrando sobre o museu do Una

 

Clube Bola de Ouro

No período de 1942-3, era chamado de Gato Branco. Hoje, é de propriedade de sócios da vila. Aurita de Barros possui 52% das ações. O clube funcionava como local de dança para a população local: hoje, encontra-se desativado.

 

 

Engenho Morim

A propriedade está localizada a cerca de 6 km da rodovia PE-060. O Engenho Morim foi fundado no século XVIII, pela Baronesa de Gindahy. As construções existentes contemplam a casa-grande, estábulo, banheiro e casas de moradores, que conservam as linhas arquitetônicas originais. Também pode-se observar as ruínas da capela, em frente à casa-grande. Em 2003, ocorreu a venda de 1 029 hectares para Diógenes de Oliveira Paes Barreto e José Lourenço de Oliveira Neto, atuais donos da propriedade.

Vídeo do Blog no engenho Morim

Recentemente trilheiros esteve nesse paraíso Rural

Barreira do Giz

Localizada no Abreu do Una , trilha de mata fechada com relevo, chegando em abreu  até a “barreira do giz” é uma caminhada de 1 km e meio,muito propício para a prática de esportes radicais e pra quem gosta de aventura.

Barreira do Giz
Barreira do Giz
Barreira do Giz

PÔR DO SOL

O pôr do Sol em São José da Coroa Grande nos garante uma beleza sem igual e nos traz uma noite tranquila e sossegada, contemplar as beleza naturais deste universo é ter a certeza que tem um arquiteto que sabe muito bem arquitetar um cenário maravilhoso.

A cada 15 dias no verão na praça Constantino Gomes temos uma apresentação musical, som garantido pela Balada vip produções e eventos e iluminação, um dos melhores da região.

Confira show de Shesman e Monique Lima

Escrito por Tenório Cavalcanti

Compartilhar:

Post Author: Tenório


2 thoughts on “São José da Coroa Grande “á cada busca pela a tua história encontro um Paraíso”. Confira

    Jalecio Barros

    (11 de setembro de 2017 - 15:18)

    Acompanho sempre suas postagens e fico feliz por termos uma pessoa como VC em nosso meio. Apenas uma observação e claro construtiva, creio que vc como sabe o quanto isso é importante! São José da Coroa Grande é uma das poucas cidades litorâneas que dispõe de um pólo em construção Naval artesanal que abrange não apenas nossa cidade em termos de prestação de serviços como também consegui atender as cidades e estados vizinhos, porém não vemos isso ser divulgado. A profissão de Carpinteiro Naval Artesanal é uma nobre função que caminha em ritmo acelerado para extinção devido a falta de apoio, não apenas local como também devido a falta de apoio do Governo Federal isso digo si é que sabem que esta profissão existe. Grato e novamente falo: Precisamos cuidar de nossa Cultura, no tocante a tudo s os costumes de um povo!

      Tenório

      (11 de setembro de 2017 - 17:33)

      Amigo Jalécio sou grato por sua observação,mas devo lhe informar que o verão esta chegando, eo Blog Tenório Cavalcanti estará fazendo rodizio nas matérias de cultura e turismo na região, ano passado lhe procurei e esse ano novamente estamos repaginando e em breve iremos fazer uma matéria e gravar um novo vídeo com você. NÃO irei esquecer da historia do mestre zuza e nem do pólo em construção Naval e artesanal de São José da Coroa Grande.

      Atenciosamente

      Tenório Cavalcanti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *